Páginas

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Diálogo com a vida


Há tempos que não escrevia nada e nem
sequer me lembrava de poesia,
andei ocupando a mente com outras
coisas;pessoas, livros, provas, saudades...

mas hoje pela manhã eu acordei
diferente demais para ser verdade,
como quem, ao abrir os olhos, tivesse
dado um bom dia para vida

e ela houvesse me respondido em
alto e bom som “bom dia para você também”
e me dizendo “ percebe como sou grande? vasta?
Estive e estou dentro de cada ser
que respira, nasço, cresço e morro há
séculos, e agora te faço companhia” .

Fiquei espantado com aquilo, e olhei
para o meu passado, não apenas para
o passado que eu vivi, mas para aquele
que viveram por mim, e que por isso
eu tive a chance de estar vivo hoje, e
novamente a vida soprou
“há geração e gerações de vida acumuladas em ti - há história nos seus olhos” .

Depois disso, eu percebi sim, a grandeza do
que é a vida, do que ela foi, e que continuará
sendo, tenho apenas vinte anos, mas sinto como se
tivesse vinte séculos. E a vida me perguntou “ e o que há de comum entre mim e a morte?”
Eu pensei um pouco e disse... “ simples, vocês sempre continuam ..."

5 comentários:

  1. "viver, e não ter a vergonha de ser feliz ...
    cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz ..."

    ResponderExcluir
  2. oooooooo
    Tem que ser sem vergonha,né?

    ResponderExcluir
  3. percebe como sou grande ? vasta?
    Pareci diálogo de "Pequeno Príncipe"
    mauahauha

    adorei muito Dery

    ResponderExcluir
  4. Nossa, você me surpreendeu nesse poema. Sem palavras, sem comentários. Simplesmente incrível! (E depois não venha me dizer que não é poeta)

    ResponderExcluir